Xícara de café com teclado ao lado

Growth Hacker: o novo queridinho das startups

O cargo mais falado atualmente nas startups internacionais (e começando a ganhar proeminência também no Brasil) é o de growth hacker, algo como “hacker de crescimento”.

Afinal, o que é growth hacker?

“Growth hacker é o profissional responsável por ajudar a empresa a crescer através de tentativas ligadas a marketing, acompanhadas de métricas e posterior iteração ou continuidade, sempre visando um crescimento mais rápido e consistente, tudo isso com bastante interseção tecnológica.”

Esse termo foi cunhado recentemente para dar um título a esse profissional, porém de certa forma a função de growth hacker já vinha sendo desempenhada em muitas startups.

Muito do que o growth hacker faz é marketing digital como você já conhece mas parte da diferença entre ele e um “Marketing Lead” é o foco: o foco do growth hacker é total em crescimento e para isso o growth hacker mistura marketing e tecnologia de forma fundamental. Ou seja, ele acaba se encaixando sim na área de marketing mais do que em qualquer outra porém ele faz uso de APIs, tecnologia e métricas para executar seu trabalho, configurando mudanças no “marketing digital” dentro das empresas.

“O growth hacker não substitui o marketing tradicional (em grande parte digital quando se trata de startups de tecnologia) mas pode ser mais fundamental em estágios inicias do negócio onde se quer uma visão menos generalista e mais de crescimento e resultado imediatos.”

Nos EUA, berço de startups de grande sucesso, muitos engenheiros estão sendo contratados como growth hackers. Não acho necessário que esse profissional venha da área de engenharia e acho que alguém com experiência em marketing digital, que já tenha experimentado várias técnicas como SEO, links patrocinados, marketing de afiliados, e-mail marketing, mídias sociais e assim por diante, tem muito mais probabilidade em dar certo na posição, desde que essa mesma pessoa entenda de números, métricas e tecnologia.

Por que esse profissional se tornou o queridinho das startups?

No ecossistema de startup tivemos alguns movimentos importantes como o “Lean Startup” que pregou a construção de MVPs (Minimum Viable Products) e a aplicação de técnicas de customer development. Sabemos que devemos criar algo simples, testar o conceito, “sair do prédio” e encontrar clientes reais para assim validar se existe mercado para nosso produto. Acredito que muitas startups já estão preparadas para testar hipóteses antes de investir fortemente em certos produtos.

As startups porém não costumam estar preparadas para a próxima fase: crescimento. Uma vez que você tenha tido retorno de um universo específico de clientes, como escalar e atingir milhares, milhões ou bilhões? Como fazer isso da forma mais eficiente dentro dos objetivos da empresa? Como maximizar conversões e diminuir churn? O papel do growth hacker surgiu justamente para atender essa necessidade: fazer com que mais clientes encontrem seu negócio, sejam convertidos e tenham seu LTV (lifetime value) maximizado.

Vou explorar mais o papel do growth hacker em próximos posts pois acho de fundamental importância, independente do título, que alguém esteja olhando para isso dentro de startups.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.