Folha crescendo na água

O que é growth hacking?

O mercado está em constante mudança e os negócios lidam com clientes cada vez mais exigentes, com acesso a informação. Como o marketing precisa se adaptar a essa realidade? A resposta é: growth hacking.

O growth hacking é um processo através do qual o growth hacker (aquele que profissionalmente atua fazendo growth hacking) busca atalhos para o crescimento da empresa.

Significado do termo growth hacking

Growth é uma palavra em inglês que significa crescimento. Essa palavra por si só aponta o foco do growth hacking: crescer. O growth hacker então é alguém que olha e trabalha somente para isso dentro de uma organização, seu objetivo é sempre trazer o crescimento, normalmente refletido em maior quantidade de usuários e uma maior adoção de uso do produto.

Hacking é uma palavra, também em inglês, muito usada no meio da computação e que indica um acesso até então não permitido a algum sistema. Ou seja, utilizar meios alternativos para conseguir acessar um sistema.

Apesar de muita gente dar uma conotação negativa ao termo “hack”, ele não é necessariamente ruim, já que você pode usar recursos alternativos para acessar um sistema de forma a fazer coisas boas.

Em português não temos um termo para tradução literal de “hacking”, mas podemos pensar nele como um “atalho conquistado por métodos alternativos”.

A junção dos dois termos já nos ajuda muito na definição do growth hacking: um atalho para o crescimento.

A origem do growth hacking

Aparentemente Sean Ellis foi o profissional que cunhou o termo growth hacking, em 2010, no Vale do Silício. Ele usou o termo “growth hacker” porque queria explicar uma necessidade que ele tinha nas empresas em que atuava: a de encontrar outras pessoas como ele, que tivessem o crescimento como verdadeiro norte.

O que separa o growth hacking do marketing?

A diferença básica entre o growth hacker e o profissional de marketing é que tudo que o growth hacker faz deve estar sob uma única pergunta: isso vai impactar o crescimento escalável? Se a resposta é sim, o processo de growth hacking vai entrar em ação.

O profissional de marketing pode fazer growth hacking desde que tenha as habilidades para isso, mas o profissional de growth hacking não fará outras atividades de marketing como branding e posicionamento, por exemplo. Tudo que o growth hacker faz precisa estar diretamente ligado a crescimento, sem excessões.

Growth Hacking x Growth Marketing

Ao meu ver seria possível ter uma abordagem de crescimento ao marketing, algo que fiz durante praticamente toda a minha carreira, porque atuando em startups sempre tive muito foco em performance, que em grande parte se traduzia em crescimento.

No caso do marketing aplicado ao crescimento, gosto do uso do termo Growth Marketing, como um marketing bem focado em crescimento.

Mas se quisermos falar de forma literal sobre Growth Hacking devemos discutir hacks: atalhos não tradicionais para o crescimento. E é por isso que muita gente acaba dando uma conotação negativa ao termo porque na conotação literal growth hacking é o processo de encontrar truques para o crescimento.

Disciplinas envolvidas no Growth Hacking

Para o growth hacking acontecer é importante que exista uma sobreposição de diversas disciplinas como marketing, produto (engenharia), design (principalmente usabilidade) e análise de métricas. Por isso, existe uma defesa acentuada de que growth hackers devam ter background técnico (fiz uma análise do perfil de growth hackers conhecidos para entender se de fato são engenheiros e afins).

O motivo é simples: você só pode encontrar hacks valiosos como esses que de fato impactam o crescimento analisando os dados, aplicando mudanças (design / produto) e testando novamente num ciclo contínuo.

O processo de Growth Hacking

A ideia é que você valide suas hipóteses sobre ações de crescimento.

Você deve ter um processo que te permita criar hipóteses, testar as opções, valida-las, seguir com as que funcionam, potencializando-as, descartar aquelas que não tiverem impacto no crescimento, buscando novas alternativas e fazer tudo isso de forma contínua.

Uma das formas de fazer isso é:

  • criar uma lista e ideias / hipóteses de crescimento
  • colocar a métrica que demonstraria o sucesso dela (KPIs)
  • implementar através da interação com os times de produto, marketing e design (ainda poderia-se envolver vendas, negócios, finanças e assim por diante – nenhuma área da empresa está imune ao growth hacking)
  • validar o resultado: através de métricas novamente
  • potencializar o que deu certo / refutar o que deu errado / buscar novas opções

Na prática você terá inúmeros experimentos ocorrendo ao mesmo tempo e verá que o crescimento não vem de uma única mega ação ou fórmula mágica e sim de diversas atividades menores que juntas compõem o grande cenário de sucesso de crescimento.

Exemplos de Growth Hacking

Para melhor ilustrar o que é growth hacking vou criar artigos aqui no blog com estudos de caso de growth hacking para que você possa ver como, na prática, algumas empresas empregaram estratégias de growth em seu crescimento.

2 comentários em “O que é growth hacking?”

  1. Marcelo Pimenta

    Olá Tahiana,

    Nós vamos organizar o segundo evento de Growth Hackers em breve.

    Só uma curiosidade: você acha que esse termo está começando a ficar menos “hype”?
    Ou acha que ainda tem um bom tempo de vida?

    1. Oi Marcelo, qual evento?

      Não acho que perdeu o “hype”, por assim dizer, mas tem menos fator novidade, mais pessoas já sabem do que se trata.

      Independente disso, acho que não é o termo que é relevante e sim a atuação e o resultado e o fato é que pensar com uma mentalidade hacker e ter uma organização que abrace isso trás resultados

      Como prática, tem muito tempo de vida pela frente. Como termo da moda, talvez não.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *