Xícara de café sobre a mesa

Geniosidade requer trabalho contínuo

Hoje postei no meu Twitter uma frase que faz muito sentido para mim:

“O gênio é apenas a capacidade de se aplicar sem esmorecimento num trabalho. O homem que está pronto é o homem que se preparou.”

A frase, dita por Major Bach durante um discurso de formatura de oficiais, ajuda-nos a entender a real origem do que é considerado “genial”. Muitas vezes nos pegamos acreditando que alguém é simplesmente muito bom, como se não houvesse nada por trás disso além do acaso, muita sorte ou qualquer explicação sobrenatural ou puramente genética.

Nesse post curto, faço um apelo: não sejamos tolos de achar que a genialidade vem de graça a alguns poucos escolhidos. A genialidade é sim possível, desde que você tome todos os passos construtivos. Veja, é realmente uma construção, com todos os seus méritos e fracassos e se você descuidar dela torna-se apenas escombros ou obsoleta, pedindo urgentemente por uma reforma.

Não existem milagres. Existe dedicação, transpiração. Aprenda a fazer a sua sorte. Estar no lugar certo na hora certa muito pouco tem a ver com o acaso e sim com o preparo, com a identificação de oportunidade. Um tolo pode estar no lugar certo, na hora certa e não perceber que algo importante esteja acontecendo.

Uma seleção um pouco maior do que foi dito pelo Major e e que, na minha opinião, merece destaque:

“That man is a genius. He hasn’t had time to reason this thing out. He acts intuitively.” Forget it! Genius is merely the capacity for taking infinite pains. The man who was ready is the man who has prepared himself. He has studied beforehand the possible situations that might arise; he has made tentative plans covering such situations. When he is confronted by the emergency he is ready to meet it.”

Leia o discurso completo de Major Bachs aqui. Existem outras passagens merecedoras de atenção em seu discurso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.