Microformatos e otimização de sites

Para iniciar esse assunto, da relação entre microformatos e a otimização de sites, vou tentar explicar o que é microformato (microformat), já que é um assunto ainda pouco explorado no Brasil. Microformatos são conjuntos de informações construídos normalmente em XHTML e colocados em páginas como informação estruturada para ser utilizada de outras maneiras. Ou seja, são conjuntos de informação que podem ser usadas não só de forma isolada em uma página, mas que pode ser manipulada para outros formatos de interpretação além da página web específica.

Os microformats surgiram como forma de fornecer ainda mais informações (meta information) sobre um determinado assunto colocado em uma página. Por exemplo, você faz um set no código com informações a seu respeito e pode denominá-lo como um hCard (que é um microformat). Isso vai fornecer a informação ao navegador de que aquele conjunto específico de código da sua página se refere às suas informações, formando uma espécie de cartão de visita pessoal (de forma virtual, claro). Esse mesmo hCard pode ser usado em programas de e-mail, como já comumente feito.

Veja o que o Revolução Etc disse sobre a aplicação dos microformatos: A” aplicação de microformats gira basicamente em torno disso: criar relações descritivas entre conteúdo e meta informação inserida de forma que comibine tags semanticamente corretas, classes e atributos de HTML.”

A partir daí já é possível fazer uma ligação com a otimização de sites. Da perspectiva de um buscador, não existe diferença entre um microformato e o conteúdo padrão do seu site porque os microformatos são justamente compostos de atributos de XHTML e tags de informação em formatos padronizados, então buscadores como o Google e Yahoo tratam como se fosse exatamente isso, conteúdo padronizado. Isso não diminui sua importância em termos de otimização porque os microformatos continuam fornecendo informações úteis aos buscadores. Ao criar um hCard, por exemplo, você está dando ao Google (ou qualquer outro buscador) informações específicas a seu respeito como: e-mail, telefone, endereço e foto, que podem ser indexados de forma a trazer pessoas ao seu site pelas suas informações pessoais. Não é algo que vai alavancar seu posicionamento nos buscadores mas conteúdo é sempre conteúdo e por isso podemos ter conteúdo relevante fazendo uso dos microformatos.

Se não é algo que vai alavancar posicionamento, por que estou tratando disso aqui no blog? É simples! Acho importante pensarmos mais a frente, sair um pouco do tradicional feijão com arroz (apesar de eu amar). Na minha opinião não vai demorar muito tempo para que os buscadores comecem a interpretar microformatos de uma maneira diferenciada, atribuindo pesos a certos tipos de microformatos em seus algorítmos. Por isso, quanto antes conseguirmos organizar informações dessa forma, mais a frente estaremos quando isso ocorrer.

Dá para pensarmos em alguns casos onde os microformatos possam começar a afetar os resultados, em um futuro não muito distante:

  • Busca por uma data específica e encontra uma lista categorizada de eventos postados por diferentes pessoas em seus sites;
  • Você procura por algum termo, por exemplo “desbloqueio de iphone”, e vê uma lista de resultados baseada no que outras pessoas acham importante, a partir de tags que tenham criado de seus sites para esse termo;
  • Uma busca por um produto e vê uma lista com feedback de pessoas sobre esse determinado produto.

As possibilidades são várias e vão aumentar cada vez mais porque o uso dos microformatos está muito ligado a evolução da web 2.0, baseada no user generated content. Isso porque todo mundo poderá postar conteúdo e categorizá-lo com muito mais detalhes, de uma maneira padrão para ser interpretada igualmente pelos buscadores. Sim, estou falando de futuro, mas nesse mercado é importante estar de olho nele.

Deixe uma Resposta